sábado, 12 de março de 2011

MEDO

Pensava que Bragança era um sitio calminho para se estar, sem grandes confusões e tal e tal até que….
Eu e a S. estávamos na paz do senhor, tranquilas da nossa vidinha no quarto, a sossegar as pernocas depois de uma tarde de passeio pela cidade (que é como quem diz, ver lojas) até ao momento em que a nossa campainha começa a tocar compulsivamente bem como começam a bater à porta...Lá fomos nós todas stressadas espreitar pelo buraquinho da porta e o que é que nós vimos? Dois homens, muito mitras diga-se de passagem, eu não os conhecia de lado nenhum a S. também não, como é obvio não abrimos a porta,  eles repararam que estávamos atrás da porta e começaram a tapar com a mão o buraquinho do lado de fora para não lhes vermos a cara e a esconder-se, e passado pouco tempo um deles liga para um tal de Carlos “ O que é que queres Carlos? Eu preciso de fumar, tu sabes como é que é o vício, eu preciso de pó”. Eu já estava a ver a minha vida a andar para trás, já só pensava que nos iam arrombar a porta, que isto do vício de meter para a veia deve dar para o pior. Ora bem  já estávamos as duas a tremer  que nem umas loucas e decidimos pedir reforços, alguém tinha que nos ajudar. Ligámos à nossa madrinha e passados 5 minutos já éramos 5 lá em casa. Não sei se se assustaram quando viram entrar gente se o que foi, mas após 20 minutos ao pé da minha porta  foram embora! Não voltem meus amores pode ser? Eu que era para ficar lá o fim de semana já não fiquei.

1 comentário:

maçã disse...

wow, que situação estranha :\